Grupo Risotolândia apresenta inovações e melhorias nos processos produtivos

Desde 1953 o Grupo Risotolândia vem acompanhando as exigências dos consumidores e, principalmente, inovando seus serviços para sempre oferecer alimentos saborosos, saudáveis e de alta qualidade. É por isso que criou um setor especializado em novos projetos, formado por profissionais da empresa e trainees que atuam na estrutura da UTP – Universidade Tuiuti do Paraná, parceira do Grupo às atividades do NUPRI – Núcleo de Pesquisa Risotolândia.

E o Grupo começa o ano com novidades, entre elas a readequação da linha de pães e o desenvolvimento de um forno contínuo na cozinha da unidade central, em Araucária (PR), por meio da implantação de um sistema de cocção por forno de esteira, que agregou alta produtividade, melhoria nos sistemas de trabalho, redução no consumo de energia e, o mais importante, redução na gordura utilizada nas frituras.

“Com este forno podemos oferecer aos nossos consumidores mais produtos assados e menos fritos. O bife à milanesa e a almôndega, por exemplo, são assados e não mais fritos. É um processo bastante moderno e com resultados muito satisfatórios”, diz o Coordenador de Projetos e Engenheiro de Alimentos do Grupo,  Carlo Tulio.

24/7

Outra novidade do Grupo é a marca própria 24/7 - 24 horas por dia, 7 dias por semana. Trata-se de uma linha de produtos prontos para o consumo. Dentro da linha, a empresa já desenvolveu muitos produtos, entre eles pratos prontos congelados, como Strogonoff Bovino e de Frango, Lasanhas, Frango Xadrez, Bife à Parmegiana, Frango Grelhado, Picadinho Bovino e Nhoque ao Sugo.

“E vamos continuar trazendo novas opções à 24/7. Queremos lançar também uma linha de pães e bolos, sobremesas, dietas específicas, pão de queijo, sopas e polpas. É uma novidade que veio para atender uma nova demanda que vem surgindo, onde as empresas clientes poderão oferecer aos seus colaboradores uma refeição completa e saborosa a qualquer hora do dia, podendo ainda ser uma ótima opção para que eles levem para casa”, acrescenta Carlo Tulio.