Dor de cabeça: nutricionista dá dicas de alimentos que podem aliviar e prevenir as temidas crises de dor

A simples mudança de alguns hábitos alimentares pode ajudar as pessoas que sofrem deste mal

Dados da OMS - Organização Mundial da Saúde – revelam que 90% das pessoas no mundo sofrem ou já sofreram com dores de cabeça. Segundo dados médicos em todo o mundo, as causas podem estar relacionadas à ingestão de álcool e alimentos, outros problemas de saúde e, principalmente, em momentos de tensão, já que 90% dos casos esporádicos resultam de estresse. Ainda de acordo com os médicos, se as dores forem acompanhadas de outros sintomas, como náuseas ou quadros mais sérios, como a febre, as causas podem chegar a derrames ou tumores. A recomendação é não dispensar uma boa avaliação médica.

Os tratamentos mais comuns envolvem o uso de analgésicos, mas também podem ser indicadas outras terapias, como meditação, massagem, técnicas de relaxamento, psicoterapia e uma boa reeducação alimentar. A nutricionista Carolina Mariano, do Programa de Saúde Alimentar Viva Melhor do Grupo Risotolândia, explica que simples mudanças de hábitos, como a adoção de um comportamento saudável, boa hidratação, alimentação rica e variada, podem combater as dores de cabeça sem o uso de medicações.

"Existem estudos (OMS) que mostram que 50% das pessoas costumam ingerir remédios para combater a dor de cabeça sem consultar um especialista, ou seja, praticam a automedicação. Isso não é recomendável. Apostar em alimentos naturais pode ser uma boa alternativa para não colocar em cheque a saúde”, esclarece.

O que comer

Alguns alimentos podem ajudar a controlar a dor de cabeça, como a cenoura, o gengibre, a maçã e o kiwi. Eles são antioxidantes que ajudam no bloqueio da síntese de prostaglandinas (substâncias responsáveis pelos processos inflamatórios). Arroz, frutas, nozes, queijos, iogurtes, verduras, pães integrais, grãos e cereais, leite desnatado e carnes e peixes magros proporcionam bem-estar, porque são fontes de carboidratos e triptofano, que estimulam a liberação de serotonina.

Peixes de água salgada, como o salmão e a sardinha, são ricos em ômega 3, substância que ajuda a evitar inflamações que provocam dores. Castanha-do-pará e amêndoa são ricas em selênio, atuam no sistema nervoso central e ajudam a diminuir a intensidade das crises. Ovo, espinafre, escarola, agrião e couve são alimentos ricos em vitaminas do complexo B, são antioxidantes e favorecem as funções cerebrais. A aveia, o feijão, a batata, a ervilha, as sementes e o tomate, por sua vez, possuem magnésio, uma substância que costuma faltar no organismo de quem tem enxaqueca.

Evite comer

Os temperos, macarrão instantâneo, caldos prontos, salgadinhos, bolachas salgadas, sopas prontas, shoyu e molho inglês têm glutamato monossódico, um ativador da enxaqueca em pessoas sensíveis ao componente. Embutidos e produtos defumados têm alta concentração de nitrito e nitrato, considerados toxinas pelo organismo, o que também provoca dor.

Refrigerantes, gelatinas, sorvetes e balas em versão diet são feitos com aspartame, um tipo de adoçante que pode provocar a enxaqueca. Café, chá preto e refrigerantes à base de cola também devem ser evitados se o seu organismo for sensível à cafeína. Vinho tinto e amendoim contêm teobromina, amina e tiramina, que estimulam o sistema nervoso central e podem causar a dor de cabeça. “O frango também pode surpreender, pois devido aos métodos de criação da maioria das aves, a carne contém muito hormônio e antibióticos, um mix cruel para pessoas sensíveis”, acrescenta a nutricionista Carolina Mariano.

Consumo de água

Ela diz ainda que a desidratação é uma das causas mais comuns da dor de cabeça. “O recomendado é ingerir cerca de dois litros de água por dia. Caso tenha dificuldades em beber o líquido, tente saborizar com fatias de limão e, se a dor surgir depois da prática de exercícios físicos, dê preferência às bebidas isotônicas. Para descobrir se o que come desencadeia a dor, faça um diário do que tem ingerido, comparando com seu humor e presença ou não de dor de cabeça” sugere.