Colaboradores do Grupo Risotolândia participam de ação social “mão na massa”

Mutirão mão na massa aconteceu em 12 de dezembro, em parceria
com a ASID – Ação Social para a Igualdade das Diferenças, para revitalizar escola de Curitiba.

Para alguns colaboradores do Grupo Risotolândia, especializado em alimentação escolar e corporativa, o último sábado (12 de dezembro) não foi dedicado ao descanso, mas sim, ao voluntariado. Após firmar uma parceria com a ASID – Ação Social para a Igualdade das Diferenças, a Risotolândia convidou seus funcionários a integrar o “Mutirão Mão na Massa”, com o objetivo promover melhorias na infraestrutura da Escola Especial São Camilo, localizada na região do Santa Cândida, em Curitiba, que atende 174 alunos com deficiência intelectual leve e moderada. 

Luís Felipe Gusso, diretor da Risotolândia Restaurantes Corporativos - marca do grupo que atende empresas privadas - conta que, neste final de ano, não haverá entrega de brindes aos clientes, já que a empresa reverteu o investimento nesta ação social. “O mutirão realizou melhorias de alto impacto na infraestrutura da escola e cada pessoa que contribuiu promoveu mudanças muito positivas na rotina e na qualidade do ensino dos alunos da São Camilo, que merecem este carinho especial”, explica.

Rita de Cássia do Prado Germano, diretora da Escola São Camilo, agradeceu a empresa pela iniciativa e falou da importância da ação para os alunos e comunidade. “Os voluntários não imaginam o quanto essa ação representa para nós, pois vem suprir uma necessidade muito grande da escola. É uma felicidade ver vocês abrirem mão de um sábado para nos ajudar. Obrigada por estarem aqui”, agradeceu a diretora durante sua conversa.

MUTIRÃO

Ao chegarem ao espaço, os colaboradores voluntários foram guiados aos locais que passariam por revitalização e orientados sobre as tarefas a serem realizadas. A missão foi revitalizar o ambiente de dez salas de aulas, conforme explica Marina Rozin, representante da ASID e uma das orientadoras da ação. “O principal objetivo é deixar o ambiente mais agradável para os alunos. Quando realizamos nossas pesquisas, constatamos que grande parte da insatisfação das pessoas está na falta de manutenção na infraestrutura do local. Dessa forma, estamos oferecendo muito mais do que uma sala de aula pintada e revitalizada. Quando os alunos retornarem às aulas ano que vem, encontrarão um ambiente renovado e bem conservado. Resultando em um local mais agradável de se estar”, complementa.

Para Marina, a ação voluntária é uma via de mão dupla e ambas as partes saem beneficiadas. “Essa ação fará bem aos alunos, pois ganharão um espaço revitalizado, mas, também e principalmente, aos voluntários, que sentem que estão fazendo a diferença na vida de alguém”.

É o caso do colaborador e voluntário Ezequiel de Oliveira Daniel, que durante a semana trabalha no departamento de Recursos Humanos da Risotolândia e, no sábado, mudou um pouco as suas atribuições e foi voluntário na ação “Mão na Massa”. “Até então, nunca havia feito um trabalho voluntário antes, mas gostei e quero fazer mais vezes. É um gesto solidário que faz muito bem para nós”, diz.

SOBRE A ESCOLA SÃO CAMILO

A Escola de Educação Especial São Camilo é mantida pelo Instituto de Habilitação e Orientação do Excepcional do Paraná – IHOEPAR. A instituição atende atualmente 174 alunos especiais pertencentes a famílias de baixa renda. O trabalho é direcionado ao atendimento de pessoas com necessidades educacionais especiais, centralizada na área de deficiência intelectual leve e moderada, podendo ingressar na escola a partir dos 14 anos de idade.